Mercado de Trabalho

4 razões pelas quais devias começar a tua carreira numa startup

Co-founder & CMO - Ungap Year
23 Agosto 2019

Qual é a diferença entre uma startup e uma pequena ou média empresa (PME)? 

O que é que faz com que a Uber Eats (plataforma de entregas ao domicílio) seja uma startup, mas um só restaurante com entrega ao domicílio não seja?

Simples: o potencial de crescimento – ou, em linguagem startupiana, a escalabilidade.

Uma startup é uma empresa pensada para escalar rapidamente. Ao contrário de uma pequena empresa, que prioriza lucros e estabilidade, uma startup tem como principal indicador de sucesso o seu crescimento - muitas vezes em detrimento do lucro no curto e médio prazo. Veja-se o exemplo da Uber ou do Spotify que, apesar de terem avaliações bilionárias, ainda não são lucrativas

A distinção entre startup e pequena empresa é essencial, pois é o foco incessável das startups em crescer de uma maneira rápida e eficaz que as torna num local único para trabalhar e, sobretudo, para aprender.

Na minha opinião, essa diferença reflete-se, sobretudo, em quatro aspetos:

Versatilidade

“Uma grande empresa é boa para aprender processos, [porque] és parte de uma grande máquina. Mas numa pequena empresa aprendes a paixão, aprendes os sonhos. Aprendes a fazer muitas coisas ao mesmo tempo.” 
– Jack Ma, fundador do Ali Baba

Pela sua dimensão e estrutura lean, essenciais para a escalabilidade, todos os recursos numa startup são otimizados e reduzidos ao estritamente necessário. Com recursos limitados, sobretudo os humanos, a versatilidade dos mesmos torna-se essencial. 

Numa startup, é esperado que cada colaborador seja flexível e polivalente, capaz de desempenhar mais do que uma função simultaneamente e de se adaptar ao que for mais necessário e urgente em cada momento. Torna-se, portanto, essencial que todos os colaboradores tenham uma visão transversal do negócio – o que não acontece em empresas mais estabelecidas, onde impera a especialização e a departamentalização.

Como resultado, trabalhar numa startup cria profissionais mais completos e versáteis, e torna o trabalho em si menos aborrecido e repetitivo.

Responsabilidade

A otimização de recursos e a cultura de experimentação levam também a uma grande necessidade de ownership de cada colaborador – cada um tem de ser responsável pelos seus resultados e autónomo na implementação do seu plano de ação. 

Tipicamente, a responsabilidade dada a um jovem talento numa startup é muito superior à que teria numa grande empresa – porque há menos em jogo, maior propensão para o risco, maior tolerância ao erro… e porque se não fizeres tu o trabalho, mais ninguém o fará por ti.

E, como não poderia deixar de ser, “grande poder traz grande responsabilidade”. E, ouso acrescentar, grande responsabilidade traz grande aprendizagem.

Velocidade

Numa startup, tudo é acelerado: o crescimento das equipas, a ascensão na carreira, as mudanças de estratégia… Tudo é mais ágil e simples. As decisões têm menos níveis de aprovação, os produtos estão constantemente em processos de iteração, as métricas estão em constante revisão e atualização. 

E porque é que isto é bom? Porque reflete a realidade do mercado. O mundo está em permanente evolução e mudança, a tecnologia desenvolve-se a uma velocidade exponencial, e aqueles que não conseguem acompanhar o ritmo ficam para trás - já Darwin tinha chegado à conclusão de que sobrevivem aqueles que melhor se adaptam às mudanças… 

Proximidade

“Até aos 30 anos, segue um bom líder numa empresa pequena”, diz também Jack Ma. “Antes dos 30, não importa para que empresa trabalhas, mas que líder segues.” remata o mesmo autor. Se te juntares a uma grande multinacional à saída da faculdade, é possível que nunca tenhas a oportunidade de conversar com a tua CEO. Talvez até nunca a chegues a conhecer, mesmo depois de vários anos na mesma empresa.

Provavelmente, estarão separados por mais de 3 níveis hierárquicos, e por grandes distâncias geográficas. Numa startup, por outro lado, o mais provável é que ela se sente ao teu lado todos os dias. Que almocem juntos pelo menos uma vez por mês. Que discutam ideias em reuniões semanais. 
A estrutura horizontal e descontraída típica das startups e os ambientes de trabalho open space fomentam a proximidade e a troca de conhecimentos, e permitem que todos te conheçam pelo teu nome, e não pelo teu cargo. 

Em suma, uma startup é o melhor sítio para começares a tua carreira, porque é onde vais aprender mais e mais rápido. Foi com esta convicção em mente que criámos o Ungap Year, um programa de 8 meses que te vai levar a “pôr as mãos na massa” em 2 startups em ascensão em 2 cidades europeias diferentes, enquanto recebes coaching e mentoria para acelerar o teu crescimento. 

Sabe mais em ungapyear.com ou fala comigo! 😊


DEIXA UM COMENTÁRIO