"/>
Arregaça as mangas!

All Aboard: o projeto de formação que quer mudar vidas

Editor Unlimited Future
9 Julho 2018

Qualquer confusão com o slogan da Eurovisão é pura coincidência, até porque o nome já estava escolhido antes da divulgação da assinatura do festival que decorreu em Lisboa em maio. Quem o garante é a Inês Cunha, formadora do Unlimited Future e que agora lança um projeto que há muito tinha na gaveta: All aboard - Sailing Together for Sustainability 

Por falta de financiamento, ainda não tinha saído do papel, mas com o apoio do programa Erasmus + Juventude em Ação, Inês está finalmente a concretizar algo que pode mudar vidas. "Há quem nunca tenha visto o rio, o mar, ou até mesmo andado de avião. Só por aí, já vale muito a pena", diz, sobre o projeto que envolve mais 3 ONGs: Egyesek Youth Association (Hungria), A.C. Patria (Lituânia), Solidarity Mission (Grécia).

O primeiro momento decorreu no fim-de-semana passado, onde na caravela Vera Cruz dois representantes de associações de quatro países envolvidos no projeto se encontraram pela primeira vez. "Estas organizações trabalham com jovens, e o nosso target são aqueles que têm menos oportunidades. O intuito é desenvolver competências de empreendedorismo enquanto aumentamos aumentar a consciência sobre sustentabilidade ambiental - tudo isto num contexto diferente: a caravela."

Nesta primeira atividade, que é um kick off de todo o projeto, "desenhámos as atividades que foram dinamizadas por cada país. Também criámos materiais promocionais para encontrar participantes para as próximas atividades. O objetivo é que também seja um projeto de co-criação europeia", explicou Inês. Este pilar de sentimento europeu aparece muito vincado no projeto, pois a ideia é salientar a "diversidade dentro da Europa, e fazer do All Aboard um momento de inclusão para o desenvolvimento de jovens com menos oportunidades."

A Caravela Vera Cruz é o denominador comum, que faz parte do projeto através da Aporvela, a associação que representa a embarcação. A segunda atividade, a realizar-se em agosto, traduz-se num training course, ou seja, formação, a ser dada aos cinco participantes de cada país. Neste segundo momento, o target muda para jovens que lideram grupos de outros jovens: youth leaders ou youth workers. 

O objetivo passar por trabalhar competências de facilitação de atividades e de comunicação. Desta forma, "vamos dar ferramentas para os participantes criarem um programa num barco, onde vão estar durante três dias. Trata-se de um contexto de formação completamente diferente e o desafio vai ser implementar uma formação desenhada por eles", conclui.

Finda esta etapa, chegar-se-á ao grande evento do projeto: a terceira atividade, em setembro. 10 dias dentro da caravela, em que um young leader ficará responsável por um grupo de jovens, cinco por país, e lhes dará apoio durante a formação sobre empreendedorismo e sustentabilidade ambiental. 

Por todas estes conceitos, o mar e a embarcação Vera Cruz é o cenário ideal, confessa Inês Cunha, ela própria fã de vela. "É um espaço onde as pessoas vivem em comunidade, e que tem de ser sustentável; é, no fundo, um ambiente que acelera todos os processos de grupo. Acaba por ser um catalisador e uma oportunidade única para sair da zona de conforto e desenvolver novas soft skills."


DEIXA UM COMENTÁRIO